Cobrir a webcam do notebook é uma paranoia ou uma necessidade?

Compartilhe

Taí uma pergunta que muita gente já se fez antes mesmo dos escândalos dos últimos anos. Eu mesmo sempre me perguntava que tipo de segurança havia por trás desse recurso. Com a popularização das câmeras, as webcams não ficariam de fora dessa verdadeira revolução. Quem não se lembra das primeiras que chegaram por aqui, que pareciam robozinhos fofos e ficavam em cima dos nossos grandes monitores de “tubão”?

Histórico desfavorável

Um dos escândalos mais famosos é atribuído a NSA (National Security Agency), que é a Agência de Segurança Nacional dos EUA e a QCHQ (Government Communication Headquarters), Serviço de Inteligência Britânico. Segundo o The Guardian, o nosso parça Edward Snowden disponibilizou alguns documentos que mostram a existência de um programa de monitoramento, em meados de 2010, chamado Optic Nerve, que coletou imagens de chats do Yahoo, independentemente dos usuários estarem sendo investigados ou não.

Grande parte do conteúdo (mais de 1,8 milhões de contas foram expostas) era de cunho sexual, de pessoas utilizando o chat para envio de seus nudes.

Em meados de 2015/2016, esse tópico voltou à tona por alguns nossos. A Samsung confirmou, na época, que as suas Smart TVs poderiam gravar conversas e transmiti-las para terceiros. Em junho do ano posterior, Mark Zuckerberg foi flagrado cobrindo a webcam (e o microfone) do seu laptop. Por último, o diretor do FBI, disse em uma conferência, que você também deveria cobrir sua webcam: “deveríamos fazer isso para que outras pessoas que não tenham autorização não possam ficar de olho em você”.

Reprodução/Instagram

Segundo o site Showmetech, hackers costumam invadir as câmeras por meio de malwares instalados na maquina, e a partir dai tirar fotos das vítimas ou vigiá-las. Em alguns casos, eles gravam vídeos e tiram fotos para extorquir as vítimas ameaçando publicar o conteúdo, muitas vezes íntimo, na internet.

Em 2014 um relatório da Naked Security revelou que mais de 73.000 webcams conectadas a internet eram acessíveis apenas com a senha padrão.

Atualmente…

A melhor maneira de evitar uma invasão é colocando uma barreira física na câmera, como a fita que Zuckerberg colocou na câmera de seu notebook.

Segundo Thiago Tavares, presidente da Safernet, à Folha de S. Paulo, as câmeras mais suscetíveis a espionagem são as de segurança privada e as babás eletrônicas. Isso porque elas, normalmente, são protegidas por senhas fáceis. Por exemplo, muitas pessoas não alteram aquele padrão de fábrica “123456”.

Hoje em dia, quase todos os aparelhos são munidos de uma webcam: smartphones, videogames, televisores, babás eletrônicas, além das câmeras de segurança (que são bastante utilizadas no Brasil devido a falta de segurança pública).

Segundo o site Tecmundo, smartphones também são presas fáceis: links via WhatsApp e aplicativos de jogos presentes em lojas não oficiais podem infectar o aparelho. Além disso, é preciso notar que dificilmente o antivírus vai te salvar caso você comenta um erro. Por isso, tenha em mente que o melhor antivírus em qualquer dispositivo é você, a maneira como navega e o cuidado que toma.

E agora, como se proteger?

Com alguns cuidados básicos, você pode dificultar (haja vista que nada é impossível no mundo da Tecnologia) a ação de pessoas má intencionadas. Vale lembrar que, na maioria dos laptops, existem luzes LED indicando quando a webcam está sendo utilizada ou não. Se o invasor for meio lerdo, pode ser que ele esqueça de apagar a luz, mas se ele for bom, com certeza nem esta luz vai te salvar no final das contas. Aqui vão alguns conselhos rádpidos:

  • Mude a senha padrão de todos os seus dispositivos, principalmente dos roteadores de internet, DVRs, smart tvs e babás eletrônicas.
  • Coloque uma senha forte, com números, símbolos e letras maiúsculas e minúsculas.
  • Se você não utiliza uma câmera, por que não cobrir e esquecer que ela existe? Use uma fita escura (ou fita isolante) ou compre uma cobertura apropriada.
  • Caso você utilize muito o seu notebook/webcam para reuniões online e não pode ficar cobrindo e descobrindo sua câmera, lembre-se sempre de fechar a tela quando não for mais usar o aparelho.
  • Mantenha seu Sistema Operacional e seu Antivírus atualizados.
  • Evite instalar programas piratas. Lembre-se, quase nada é de graça nessa vida.

Se você não for um super banqueiro, mestre do crime ou agente do governo, provavelmente não terão tantos criminosos atrás do que você fala ou faz. Tomando o devido cuidado é quase certo que você não será exposto(a) na internet.

É bom lembrar também, que as vezes os hackers não tem nada a ver com o vazamento, por que nós mesmos acabamos enviando conteúdo privado por meios ilícitos ou não seguros, como e-mails não criptografados ou ainda deixando tudo solto em qualquer pendrive por aí. Também temos as câmeras públicas e com reconhecimento facial se multiplicando a cada dia, mas isso é assunto pra outro post. Pra terminar, a dica de ouro: a respeito de privacidade, todo cuidado é pouco.

“Dizer que você não se preocupa com o direito à privacidade, porque não tem nada a esconder, é o mesmo que dizer que você não se importa com a liberdade de expressão, porque não tem nada a dizer.”

Edward Snowden

Edit. Meu amigo Ernesto me mandou um video que ilustra muito bem toda essa situação e achei que seria interessante compartilhar com vocês. Assite aí: